Vídeo do Empreendimento

26 de março de 2010 às 4:56:09 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Abaixo a animação oficial do empreendimento Arena.

Apresentação Arena

23 de março de 2010 às 11:52:00 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Assisti hoje, 23/03 à apresentação do do Projeto Arena, no conselho deliberativo.

A ARENA JÁ É REALIDADE

Logo logo teremos uma poderosa campanha de mídia e marketing. Excelente, e mais detalhado, material sobre o projeto estará disponível em breve em:

http://www.arena.gremio.net

Perspectiva da Arena

22 de dezembro de 2009 às 5:25:48 | Publicado em Uncategorized | 4 Comentários

Em meio a toda polêmica, envolvendo um parecer elaborado a pedido do Movimento Grêmio Acima de Tudo; foi veiculada uma imagem interna da Arena. Diferente das até então publicadas, o estádio aparece cheio e não foi utilizada uma no programa 3D, uma lente grande angular ( que distorce as proporções) para obter a perspectiva.

O ponto de vista está colocado no nível das cadeiras VIPs, a fonte é o clicrbs.

Carlos de La Corte – O arquiteto que está por dentro de todos os detalhes das 12 arenas que receberão os jogos da Copa do Mundo de 2014

21 de dezembro de 2009 às 3:32:36 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Mesmo não estando à frente de nenhum projeto de estádio para a Copa do Mundo de 2014, o arquiteto Carlos de La Corte é o profissional que está por dentro de todos os detalhes das 12 arenas que receberão jogos no Brasil: ele é o consultor técnico contratado pela Fifa, a federação internacional de futebol, para, juntamente com sua equipe, acompanhar o desenvolvimento das propostas vencedoras.

Desde os bancos da FAU/USP, pela qual se diplomou em 1994, Carlos de La Corte está de olho nos edifícios para fins esportivos: seu trabalho de graduação foi o projeto de um centro olímpico no bairro paulistano da Barra Funda. Logo depois de se formar, fez mestrado tendo como tema os equipamentos esportivos públicos da cidade de São Paulo. Mais à frente, defendeu tese de doutorado sobre estádios de futebol. Com esse currículo, após o anúncio da escolha do Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014 ele se apresentou às instituições do setor e hoje é consultor técnico do comitê da Fifa que acompanha os projetos das arenas para a competição mundial. Há mais de um ano sem falar com a imprensa, Carlos de La Corte rompeu o silêncio e recebeu PROJETO DESIGN para uma entrevista em seu escritório, acompanhado de seu assessor de comunicação. Por razões contratuais, ele não pôde fazer comentários específicos sobre os 12 projetos atualmente em curso.

Clique aqui e confira a entrevista completa ao portal da Revista Projeto

Adalberto Preis abordou Arena na Gaúcha

16 de dezembro de 2009 às 1:04:02 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Entrevista esclareceu aspectos contratuais

Na tarde desta terça-feira, 15/12, o presidente da Grêmio Empreendimentos, Adalberto Preis, compareceu à Rádio Gaúcha e concedeu entrevista ao vivo, no programa Gaúcha Repórter com apresentação de Lasier Martins, a fim de esclarecer as questões contratuais entre o Grêmio e a OAS, que dizem respeito à futura Arena gremista.

Preis demonstrou indignação com as declarações de pessoas, que segundo ele, estão desinformadas. “É tanta desinformação que eu fico com receio de ser contaminado com tanta desinformação. Não vou fazer questionamentos pessoais, qualquer crítica será uma reposição da verdade, já que forma ditas muitas inverdades e meias verdades, que fora de um contexto acabam também se tornando inverdades.”

O presidente da Grêmio Empreendimentos garantiu que o contrato foi estudado a fundo pelas comissões do Conselho Deliberativo do Grêmio e somente depois, foi aprovado. “O contrato entre o Grêmio e a construtora OAS foi aprovado em dezembro de 2008, passou por uma Comissão Especial, comissão de Planejamento Estratégico, de Assuntos Legais e Estatutários, de Futebol, de Ética, de Marketing, de Finanças e de Patrimônio. A conclusão foi a seguinte: Esta comissão conclui com entusiasmo que este Conselho Deliberativo do Grêmio deve aprovar a assinatura dos contratos com a OAS para realizar a construção da Arena. Foram realizadas inúmeras reuniões, houve alterações no curso do desenvolvimento e da organização desse projeto. Agora eu te pergunto Lasier, tu achas que essas pessoas, desembargadores, empresários, advogados de renome, auditores, eles iriam pôr sua assinatura, aprovar e recomendar um contrato se não o tivessem analisado?”

Adalberto Preis iniciou os esclarecimentos explicando o aspecto financeiro do contrato. “O Grêmio vai ganhar, não de graça, uma Arena nova. O dinheiro para a construção da Arena será 55% de capital próprio da construtora OAS, parceira do Grêmio, e 45% em financiamento, que será pago pelo negócio, e se pretende que seja pago em sete anos. Durante esse período que se paga o financiamento, o Grêmio vai receber 7 milhões de reais / ano, reajustados, mais o lucro líquido que ocorrer da exploração da Arena. A OAS será acionista da empresa gestora e receberá zero dividendo, todo lucro será do Grêmio. Todas as receitas da Arena, com exceção dos paineis de campo, serão da empresa gestora, todos os custos e todas as despesas serão da empresa gestora, que pagará o financiamento e pagará o Grêmio. Depois desses sete anos, o Grêmio vai receber 14 milhões / ano fixo. As receitas de transferência de jogadores continuarão do Grêmio, de televisão, da propaganda na camiseta, a receita do Quadro Social, de Marketing, dos produtos, de loja. Da empresa gestora, que vai pagar ao Grêmio os valores antes mencionados, serão as receitas da exploração da Arena.”

“Quanto à questão da capitalização e da descapitalização, essas pessoas não entenderam nada do que analisaram. Nada irá pra OAS, as receitas da Arena entrarão para o caixa da empresa gestora da Arena, na qual o Grêmio vai ter coo-gestão e terá direito de veto nas questões mais importantes. Os 7 milhões / ano, mais o lucro liquido saíra daí. Quanto as receitas de jogo, o valor bruto não representa 15% do orçamento do clube, então não tem essa importância que é dita,” garantiu.

Para finalizar, Adalberto Preis explicou a tão polêmica questão dos sócios, se pagarão ou não os ingressos para assistir às partidas na futura Arena. “A questão do sócio, é feito um terrorismo muito grande, quem vai decidir isso vai ser o sócio do Grêmio, quem vai decidir se deve pagar ou não vai ser o próprio torcedor. Hoje em dia o sócio paga a entrada com a mensalidade, entra no borderô todo o torcedor que entra no Olímpico, e o Grêmio paga essa entrada. Por que na Arena não pode continuar assim? O clube aqui paga para ele mesmo, lá o clube será compensado pelo que receberá da empresa gestora. Essa é uma questão de articulação, de equilíbrio, que a direção terá que buscar na sua política dos sócios, essa é uma decisão dos órgãos do clube.”

ouça a entrevista:

Adalberto Preis esclarece pontos sobre o contrato e contrapõe entrevista concedida ontem ao Gaúcha Repórter pelo advogado Gladimir Chielli (Rádio Gaúcha)

fonte:

http://www.gremio.net/news/view.aspx?id=9640&language=0&news_type_id=1

Nome de estádio torna-se fonte de renda para clubes

13 de dezembro de 2009 às 3:54:51 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O estádio do Stuttgart vai mudar o nome para Mercedes Benz Arena. É mais um exemplo da venda do nome de estádios, com o que os clubes atraem dinheiro para investir em jogadores e infra-estrutura. Torcedores protestam.
O que significa um nome, afinal de contas? Para os torcedores, muitíssimo, quando se trata de estádios alemães e da tradição de colocar o esporte acima dos interesses comerciais.
Esta preocupação parece estar sendo ignorada, se for considerada a tendência de vender nomes de estádios em troca de milhões de euros. A última transação deste tipo foi anunciada no último dia 31 de março pela empresa automobilística Daimler, cuja sede fica nos arredores de Stuttgart, e pela diretoria do Stuttgart, atual campeão alemão.
A partir de 30 de julho próximo, o Estádio Gottlieb Daimler será rebatizado para Mercedes Benz Arena. Para isso, o fabricante alemão de carros pagou 23 milhões de euros, de acordo com informações publicadas no diário Die Welt. Com o dinheiro, o clube pagará parte da reforma do estádio, que começará no próximo ano.
Tendência começou em 1997
O Stuttgart não é o primeiro clube alemão a comercializar o nome de seu estádio. Esta tendência foi iniciada na Alemanha em 1997, quando o Parque Esportivo Ronhof, na cidade de Fürth, tornou-se Estádio Playmobil. Dois anos mais tarde, o estádio de Leverkusen passou a chamar-seBayArena e em 2001 o Hamburgo passou a jogar no AOL Arena.
Desde então, o processo foi acelerado. Pelo menos metade das equipes da Primeira Divisão do futebol alemão joga em estádios com nomes comerciais, como Commerzbank, Generali ou Veltins.
“Você pode ter a certeza de que os estádios que ainda não têm um nome comercial estão sendo objeto de negociações neste sentido”, disse Maik Thesing, do portal de internet sobre estádios stadionwelt-business.de.
Do ponto de vista meramente comercial, um poderoso patrocinador disposto a gastar somas milionárias para ter seu nome num prédio traz muitos benefícios. Quando equipes ou cidades constroem novos estádios e vendem os direitos do nome, podem diminuir grande parte dos custos da obra, como foi o caso do Allianz Arena de Munique.
Valores dependem do clube
Se o estádio já existe, um novo nome pode financiar reformas ou mesmo ajudar a pagar os salários dos jogadores. “Se você quiser sobreviver em nível internacional, tem de adquirir os melhores jogadores”, disse Benedikt Roemmelt, economista do Instituto de Ciências do Desporto em Jena, especializado em assuntos esportivos. “Se um clube alemão não tem condições de se manter financeiramente no mesmo nível, por exemplo, de um clube inglês, ele não tem chance.”
O preço para a mudança do nome de um estádio depende da sua localização e da reputação da equipe que joga nele. A Generali concordou em pagar 400 mil euros por ano para dar o nome ao estádio de Unterhaching, nas proximidades de Munique. Já o Commerzbank paga 3 milhões de euros por ano ao Frankfurt, e a seguradora Allianz desembolsa 6 milhões de euros anuais para dar o nome ao estádio do Bayern de Munique.
Liquidação de estádios?
Apesar dos benefícios, muitos torcedores criticam o fenômeno como uma sendo uma “queima de estoque”. A maioria das trocas de nomes de estádios foi acompanhada de protestos dos torcedores, que acusam esta forma de comercialização do desporto.
Em Nurembergue, a torcida do clube local ficou indignada quando o banco easyCredit comprou os direitos do nome do Frankenstadion em 2006. Em protesto, passou a adotar o nome Estádio Max Morlock, em reconhecimento a um conhecido jogador do clube, já falecido. Este nome tem se revelado muito mais popular entre o público.
Alguns meios de comunicação, como o diário Westdeutsche Allgemeine Zeitung, também se recusam a usar os nomes comerciais por considerá-los propaganda.
Não só críticas
Às vezes, as identidades são apenas temporárias, como no caso do estádio em Hamburgo, que de AOL Arena passou para HSH Nordbank Arena. Ao msmo tempo, nem todos os torcedores são contra, pois vêem benefícios. Mark Friedrich, de um fã-clube do Stuttgart, diz não ter ouvido muitas reações negativas ao Mercedes Benz Arena, pois com a reforma do estádio será eliminada a pista de atletismo, o que aproximará a torcida do campo.
Thesing é de opinião que, com o passar do tempo, a comercialização de tudo no esporte, inclusive dos estádios, se tornará comum e será aceita, das mesma forma como já ninguém mais se importa com a propaganda nas camisetas e as faixas com anúncios em torno do gramado.
“Uma mudança de nome de estádio realizada nos últimos cinco anos ainda é notada pelas pessoas, mas em 20 anos é provável que ninguém mais ache isso censurável”, acredita.

Kyle James (rw)
http://www.dw-world.de/dw/article/0,…242457,00.html

Preis fala sobre a Arena

13 de dezembro de 2009 às 12:03:45 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Entrevista de Adalberto Preis, Presidente da Grêmio Empreendimentos, sobre o Projeto Arena. Confira.

http://www.clicrbs.com.br/blog/jsp/d…&topo=4238.dwt

Visitas Técnicas

9 de dezembro de 2009 às 11:55:54 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

http://www.amaiscearquitetura.com.br/site/modules.php?name=Conteudo&pid=602

Obras à vista

8 de dezembro de 2009 às 10:08:30 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O canteiro começa a ser preparado, em breve teremos uma cerimônia para marcar o início dos trabalhos.

Remodelação do Morumbi

8 de dezembro de 2009 às 9:31:56 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Depois de muita polêmica, o projeto é modificado para atender exigências da Fifa, com o objetivo de garantir o jogo de abertura da Copa de 2014, confira como ele foi solucionado, no site arcoweb. Outros projetos para 2014 também estão .

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.